Economia

Cai o número de inadimplentes em relação à 2016

Autor: Isabella Westphalen
Cai o número de inadimplentes em relação à 2016
Foto: Rodolfo Silva

Apesar de dados apontarem o percentual de famílias endividadas aumentou em 0,6%, a nível nacional, em Carazinho o cenário é diferente e pouco mais positivo que no resto do país

A Confederação Nacional do Comercio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nessa semana dados que apontaram que o aumento de 0,6% no percentual de famílias endividadas fez com que alcançasse a média de 60,8% de inadimplentes, após três anos consecutivos de queda. Porém, em Carazinho, segundo o executivo da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Wanderlei Conte, os números do SPC mostram uma diminuição no número de devedores no município.

De acordo com o executivo, a pesquisa nacional revela que a inadimplência segue alta, porém 2017 apresentou um número inferior do que em 2016. “Aqui em Carazinho, em dezembro, por exemplo, tivemos uma baixa de 5% nos inadimplentes, comparado ao mesmo período de 2016. Ou seja, se fizermos uma comparação todo ano, tem um recuo”, explicou Conte, que frisa, porém, que isso não significa que esteja tudo certo. “Mesmo que esse número de inadimplentes tenha caído, ainda é bastante. Temos 60 milhões de pessoas inadimplentes no Brasil, só no Sul do país são oito milhões. Então, a inadimplência vem acontecendo, mesmo que em níveis inferiores a 2016”, complementou o executivo.

Segundo Conte, o período do início do ano ainda é complicado para quem deseja sanar as dívidas, tendo em vista os pagamentos que devem ser feitos nesse período, provenientes das compras do final de ano e dos impostos. “Início do ano vem pagamento de IPTU, IPVA, material escolar, enfim, isso é histórico, a inadimplência em janeiro e fevereiro aumenta, também em virtude das contas feitas em dezembro”, comentou o executivo, que disse também que nesse momento, algumas contas tornam-se prioridade e, ao longo dos meses, isso vai se normalizando.

E agora?

Para que o número de devedores siga caindo e esse quadro possa ser revertido, Conte afirma que isso depende da continuidade da melhora econômica do país. “Tudo isso passa pela melhora da empregabilidade, renda. Além disso, tem que existir um esforço contínuo na educação financeira de cada um, isso é imprescindível”, revelou o executivo, que também salienta que as pessoas devem se programar e trabalhar com os valores que recebem, para que o pagamento das dívidas possa ser organizado em cima disso.

O executivo afirma também que, caso a melhora econômica aconteça de fato, a tendência é que tenhamos um ano de menor inadimplência e que a dica é a organização. “As pessoas devem ter um controle financeiro pessoal, até em uma agenda, para que as contas fiquem ordenadas”, concluiu.

Brasil

De acordo com o estudo da CNC, feito com base na Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, a parcela de famílias com dívidas atrasadas aumentou em 1,2 % em comparação também a 2016.

A pesquisa mostrou também que o atraso no pagamento do cartão de crédito foi a dívida mais frequente em 2017, sendo citada por 76,7% das famílias brasileiras. Em segundo lugar está o carnê, citado por 15,7% das famílias. 

Comentários

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
VCP - PFB Azul 08:45:00 Passo Fundo segunda a sábado
VCP - PFB Azul 17:40:00 Passo Fundo segundas, terças, quartas, quintas, sextas e domin
VCP - PFB Azul 23:15:00 Passo Fundo segundas, terças, quartas, quintas, sextas e domin
VCP - PFB Azul 20:35:00 Passo Fundo sábados
PFB - VCP Azul 06:00:00 Campinas - SP todos os dias
PFB - VCP Azul 10:55:00 Campinas - SP todos os dias exceto aos domingos
PFB - VCP Azul 19:55:00 Campinas - SP todos os dias exceto aos sábados
FLN - PFB Azul 16:15:00 Passo Fundo Segundas, sextas e domingos
PFB - FLN Azul 18:20:00 Florianópolis Segundas, sextas e domingos

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027