Diário da Manhã

Sobre o amor!

                Deparamo-nos com o amor todos os dias. Sentimos muitos amores durante nossa existência neste plano, por que somos seres aprendentes, e o amor é aprendido, sempre demonstrado como exemplo, nunca dito em palavras sem verdade.

               Na segunda-feira comemoramos mais um dia dos namorados, por isso, ouso falar sobre o amor entre seres adultos, apaixonados. Valho-me de um dos exemplos mais notórios com que entrei em contato.

               O livro TÂNIA (Projeto Passo Fundo, 2015) de poemas, fala do amor do autor Pedro Du Bois por sua amada Tânia. Ele retrata aquilo que é sólido, permanente, bonito entre dois amores há anos juntos. Tive o privilégio de escrever a orelha dessa preciosidade de livro. Eis o que colhi durante a leitura:

               “Ler Pedro Du Bois é mergulhar em finas percepções do que seja o amor. Seus poemas revelam Tânia, mas, muito mais, revelam Pedro. Sente-se que há ali um homem em sua inequívoca tentativa de traduzir a riqueza da alma humana em suas minúcias, nas suas contradições e “em todos os sentires”. A sensibilidade do poeta derrama-se em versos para dizer a mulher, ainda mistério. Fala sobre o enigma que produz a fêmea, a mulher, a amante. Tânia é um livro avassalador, por permitir espiar pelo buraco da fechadura de um grande amor. Ele escancara para também esconder. Ele esconde para também contemplar. Ele contempla para também re(conhecer) e regressar todos os dias ao regaço de quem “se sabe primeira” e “é onça e mulher. Pedro diz o amor inconcluso, enquanto tateia pelas frinchas da alma, sem conseguir desvelar completamente o que o inquieta e o que o afaga. Pedro Du Bois faz-me um ser em estado de alumbramento, o que, sei, acontecerá a quem se deixar tocar por TÂNIA.”

               Através de Pedro e Tânia revejo o mistério que ronda um amor longevo. Reconheço o trabalho de preservação do que temos de mais digno, que é o respeito um pelo outro. O romantismo, necessário, mas não essencial, dá brilho aos sentimentos, às emoções. Mas não representa, nem de longe, o que embala os protagonistas de um amor verdadeiro. É desafiador envelhecer juntos mantendo a chama do encontro, conseguindo conversar por horas, esperar pela chegada do trabalho. É estimulante ver que é possível viver crises, choques de personalidade, mudanças de toda ordem, sem que haja degradação de sentimentos.

               Revi com Pedro a real dimensão do que seja reconhecer as idiossincrasias um do outro, respeitá-las e transformar o cotidiano em algo interessante justamente por causa das diferenças. Tive, com a apreciação dos lindos poemas, a presença do que move uma relação amorosa, que é o reconhecimento de que cada um encerra em si o que o outro não tem, ou, se tem, legitimam-se em seus defeitos, em suas virtudes e enriquecem o que é só deles.

               Que o amor sempre sobreviva, tenha ele a duração que tenha. Separações não são necessariamente deletérias, mas um recomeço para algo novo, para além do sofrimento e mais de acordo com a nossa incompletude. Vivamos, pois o amor e agradeçamos aos poetas que tanto nos inspiram. 

Comentários

Galerias de Fotos

Anuncie Aqui

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
AD-5167 Azul / Trip 06:55:00 Campinas Sextas
AD-5165 Azul / Trip 07:00:00 Campinas segunda a quinta e sábado
AD-5139 Azul / Trip 12:40:00 Campinas domingos às sextas

Baixe o Aplicativo do Jornal

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027